Recordando

















Ontem me pediste de forma dócil para jamais te falar.
Hoje
Me pedes com riso nos lábios para te olvidar.
Que me pedirás quando o sol estiver a fazer Kassuada?
Amanhã já vazio e só serei eu capaz de falar ao mundo
Que afinal nunca estive presente
Fui a mais singela ficção numa curta história
E a minha existência foi uma descabida imaginação?



Garcia Bires
Etiquetas: , , | edit post
Reacções: 
1 Response
  1. Jorge Says:

    Bonito poema, sempre actual.

    As mulheres são muito diferentes dos homens, são misteriosas. Raramente percebemos como pensam, que percurso seguem para chegar ao mesmo sítio.
    Bela metáfora, a do "sol fazer kassuada".
    Kassuada[troça], um termo usado no léxico transmontano e que com prazer fui buscar ao recônditos da minha memória.
    Bom Domingo