O barco
















Vai barco!
Leva contigo minha solidão.
Sozinha estou.
Abandonaram-me a paz, a harmonia, a vontade de ser.
Deixaram-me aqui a padecer de sonhos e esperanças.
Esperanças que alimentam sonhos...
Sonhos que me ajudam a viver.

Vai barco!
Leva contigo minha tristeza.
A tristeza é feia e eu tenho medo.
Medo de não voltar a ser feliz como um dia fui.
Medo de me acostumar à mesmice do cotidiano.
Medo de não voltar a ver meu sorriso...
Sorriso que já não flui.

Vai barco!
Leva contigo minha amargura.
A amargura dói e faz doer.
Quero de volta minha alegria.
Alegria às vezes sinto por amar e saber-me amada;
Mas com medo de fazer sofrer.

Vem barco!
E traz contigo tudo o que perdi.
Enche-me de esperanças,
Que alimentam meus sonhos,
Que espantam essa tristeza,
Que me devolvem o sorriso,
Que expulsam a amargura,
Que me refazem de alegrias,
Que me permitem amar e querer viver.



Foto e poema de
Carmem L Vilanova
Etiquetas: , , , | edit post
Reacções: 
1 Response
  1. Humyborari Says:

    Que poema suáve, essa conversa com o barco para levar para longe todo esse sofrimento e para trazer de volta toda alegria que um dia estava presente na vida.É uma docura contido na alma de alguem tendando se livrar de tudo que é sufocante, alguêm que quer ser amada, alguêm que se ama, mas ao mesmo entretempo se fecha.
    Por favor visita meu blog:www.humyborari.blogspot.com