Para que ninguém esqueça




















"Era em Hiroxima, no dia 6 de Agosto de 1945. (...) O nosso grupo, em fila indiana, tinha passado a ponte de Tsurumi, quando, sem alerta aéreo, apareceu, muito alto sobre as nossa cabeças, um avião inimigo, sozinho. As suas asas de prata brilhavam ao sol, incandescentes.
Uma mulher gritou: "Oh, olha, um pára-quedas." Voltei-me nessa direcção e nesse exacto momento um raio fulminante ocupou todo o céu. Foi o raio o que eu vi primeiro ou o trovão da explosão que me rasgou as entranhas? Não me lembro. Tinha sido lançada por terra, estava colada ao chão e imediatamente o mundo começou a desabar à minha volta, sobre a minha cabeça e os meus ombros. Deixei de ver. Fazia completamente negro."

Quando acordou, viu a "pintura do inferno".



Testemunho de sobrevivente de Hiroxima
Etiquetas: , | edit post
Reacções: