Como grilo

























Na gaiola
Cri, cri, cri, cri
O grilo grita
Os campos verdes
O capim macio
O orvalho fresco
A cova quente
O cio
Cri, cri, cri, cri
O grilo chora
A liberdade ida
A clausura activa
A solidão maldosa
O frio destino
Tão vivo
Cri, cri, cri, cri
Na gaiola
O grilo grela
Ódios sem fumo
Coloridas vinganças
Planos túrgidos
Sonhos sem mundo
Tantas raivas
Na prisão perto
Onde embate a dor do grilo
Também eu cri, cri, cri, cri



Luis Rosa Lopes
Etiquetas: , , | edit post
Reacções: