O Poema Que Te Não Sei Fazer





















Tenho um poema todo negro no cérebro.
Um sabor a sangue
Do poema vermelho da boca.
Uma ânsia louca e branca
Do poema róseo
Que me ofereces sôfrega e eterna
Ao artista que sou.

A!, fora eu mágico
E com esta sinfónica paleta
Musicar-te-ia o poema
Que fizesse de ti a rainha
De um tão pobre escravo-poeta.



António Cardoso
Etiquetas: , , | edit post
Reacções: 
2 Responses
  1. Tuca Kors Says:

    Eu amo o seu blog!
    Um beijo da Tuca


  2. Meu caro amigo... os poemas que publicas sao absolutamente lindos e encantadores por seu conteudo, por seu todo!
    Muitos beijos, flores e muitos sorrisos!

    Eu Sei Que Vou Te Amar
    Viver Integral