Rugas





Rugas, trilhos do tempo
que sulcam nosso rosto
delineando tarefas cumpridas
marcando caminhos percorridos
esculpindo risos alargados
tatuando a saudade de quem nos faz falta
o vazio deixado pelos que partiram
traços que nos transformaram
lentamente...
Gosto de mim... assim desenhada...
Fui riacho... encorpei...
Agora sou rio... fui amada e dupliquei...
Num dia de Cacimbo, ao mar vou chegar
pintado com o vermelho da minha terra
e com a prata do Luar
serenamente, sem pressa...
no remanso das ondas, desaguarei...



Isaura
in Sanzalangola
Etiquetas: , , | edit post
Reacções: 
1 Response
  1. Conceição Says:

    LINDÍSSIMO! QUE AS RUGAS JAMAIS NOS INCOMODEM, MAS SIM NOS HONREM!
    PARABÉNS.
    CONEIÇÃO BEIRÃO CARVALHO
    (santomense)