Lusofonia

Foto de António Ferreira de Sousa em Caminhadas e Descoberta em STP



Extensão imensurável da Portuguesa alma
que deixou raízes em solos longínquos
usos
costumes
sangues cruzados...
e os sonhos ficaram perdidos nas pedras
a circundar o Globo das nossas Vidas.

Estranhos?!
Estranhos porquê?

Talvez o sejamos na lusa distância
dos nossos palmeirais exóticos
dos nossos panos garridos
do nosso gargalhar sensual e
provocador...

Talvez o sejamos até no linguajar materno
que no berço ouvimos
mas se hoje procuramos a essência de
um Passado comum
é porque aquele acento no coração de todos nós
é a ave migratória
dos nossos mares entrelaçados



Olinda Beja
In "Aromas de Cajamanga"
Etiquetas: , , | edit post
Reacções: 
1 Response
  1. Conceição Says:

    LER POEMAS DE OLINDA BEJA FAZ-ME SENTIR PEQUENINA EM RELAÇÃO À SANTOMENSIDÃO DESSA GRANDE EMBAIXADORA DA LITERATURA DA NOSSA TERRA.
    PARABÉNS CARA AMIGA.
    CONCEIÇÃO BEIRÃO CARVALHO
    (Santomense)