Ofício



























Começo o Poema:
O coração é uma seta apontada ao centro do poema.
Não, não está bem;
risco ou rasgo o papel.

Recomeço o Poema:
O Homem é uma espada a fender em dois o Amor.
Não, não gosto;
apago de novo.

Ou então:
o Amor é uma chama árdua a arder em breve pira.
Pior prosa;
quebre-se a lira.

Recomeçarei:
No primeiro Apollo vou à Lua
e cantarei.


C. T. Chão Bom, 22.7.69



António Jacinto
(in «Sobreviver em Tarrafal de Santiago»,
Edições Chá de Caxinde, 2000)
Etiquetas: , , | edit post
Reacções: