Que Outro Nome




Que rio se pode
abrir na língua acesa
para o capim
crepitando baixo.

Que palavra
por ele nasce
e corre corre a lua
e outra lua
sem que regresse ao corpo.

Que outro nome
te demos vestida...
e no escuro desposada.
LIBERDADE.

Que tempo de ocultar o nome
Sabíamos perder
e nem de moscardo zumbias:

NGOLA

nosso pouco maruvo eras
no terreiro anunciada.
LIBERDADE.

Quem das copas pronuncia
os teus lábios na terra?

NZAMBI

neles tivesse
mordiscado leve.
Liberdade.


David Mestre
Etiquetas: , , | edit post
Reacções: