Há dez anos



















Amanheceu quente
cinzenta
e triste.

Triste
Como todas
as manhãs de cacimbo

Triste
Como todas
as manhãs de partida

Muito diferente
de uma outra
quente
e luminosa
á hora da chegada

O horizonte
chamou por mim
Um olhar
Pensamentos em vórtice
corpo em chamas.
Queimada na savana

E estava ali
Ainda

A Estrada de Catete
o pulsar da cidade
passaram por mim
com uma estranha
calma
silêncio

O bulício
de todos os dias
partira
para onde?

Tudo parecia mover-se
em silêncio...

Silêncio quebrado
pelos acordes
de A song for guy

Os mesmos acordes
doces
belíssimos
empolgantes
do momento da chegada...

Há dez anos
Foi assim

Tenho
os acordes
preparados
para o regresso

Depois...
deitá-los-ei fora
esquecê-los-ei.

Não voltarei
a partir embalado
por eles.



Cacusso


Etiquetas: | edit post
Reacções: 
1 Response
  1. Parei, li, saborei. Obrigado por estes poemas, esta sensibilidade.
    Um abraço
    António